Todas as coleções
Facebook Ads
Política de publicidade do Facebook
Política de publicidade do Facebook
Bernard Gonçalves avatar
Escrito por Bernard Gonçalves
Atualizado há mais de uma semana

Olá, Hackr 🚀

Tudo bem?

Se você está trabalhando com o marketing digital, criando e veiculando anúncios para o Facebook Ads, com certeza já escutou sobre a famigerada Política de Publicidade do Facebook. É sempre recomendado que, antes de criar suas campanhas, você leia os termos dessa política porque o descumprimento pode implicar não apenas na não aprovação do seu anúncio, mas também em bloqueios em sua conta.

Hoje, nós vamos fazer um apanhado rápido do que está contido na Política de Publicidade.

giphy__1_.gif

Para que você leia, na íntegra, todos os termos, basta clicar aqui. Como já dissemos acima, é recomendado fazer a leitura de toda a política para evitar quaisquer transtornos futuros.

O Facebook vai analisar não apenas as imagens, textos, direcionamento e posicionamento de seu anúncio. Ele analisa, também, qual o conteúdo da página de destino. Ou seja, ainda que o anúncio em si seja condizente com toda a Política de Publicidade, é necessário, também, que a sua landing page também seja. Em média, o anúncio é analisado em até 24 horas, mas podem haver exceções.

Caso seu anúncio não seja aprovado, você receberá um e-mail com as explicações detalhadas para que possa fazer as correções. Caso não seja possível editar ou caso não concorde com o resultado, é possível contatar o Facebook para contestar essa decisão.

O Facebook lista quais são os conteúdos que são proibidos. Ao fazer um anúncio que tenha incluso qualquer um desses, há risco não apenas da reprovação do anúncio, mas até de bloqueio da conta em si. De forma mais geral, os conteúdos em questão são os seguintes:

  1. Conteúdo sensacionalista: aqui, basicamente, são as imagens que possam assustar ou chocar o espectador, com apologia a violência de forma direta ou não.

  2. Linguagem ofensiva: A linguagem, tanto verbal quanto não-verbal, não pode ser agressiva. Aqui, nos referimos tanto a palavras e expressões que podem ser ofensivas quanto a imagens com gestos obscenos.

  3. Funcionalidade inexistente: imagens que simulem uma funcionalidade já existente, como, por exemplo, uma imagem marcada com um símbolo de vídeo para ser iniciado.

  4. Saúde pessoal: conteúdos que, de alguma forma, estimulem reações negativas com relação a atributos pessoais, especialmente no que diz respeito à saúde e bem-estar de cada um. Imagens de antes e depois são um exemplo.

  5. Conteúdo de baixa qualidade ou perturbador: nessa categoria se enquadram anúncios pouco confiáveis, cujo objetivo é enganar o leitor ou causar uma experiência ruim. Como exemplo, pode-se citar imagens sensacionalistas sem relação com o site de destino ou anúncios que tenham pop-ups que atrapalhem a navegação.

  6. Produtos financeiros e serviços proibidos: promessas de enriquecimento rápido através de qualquer meio são proibidas no Facebook.

Em caso de anúncios de vídeos ou anúncios dinâmicos, é importante obedecer, também as políticas de conteúdo importuno, que determinam que vídeos e outros tipos de anúncio semelhante não devem usar táticas com muitas interrupções, como telas luminosas, e de restrições relacionadas ao entretenimento. No caso dessa segunda, qualquer conteúdo voltado para adultos deve ser direcionado apenas para maiores de 18 anos e representações excessivas de conteúdo com consumo de álcool e drogas, difamação e violência são não são permitidos.

No que se refere ao direcionamento, dois pontos são definidos pelo Facebook. O primeiro é que o direcionamento não pode ser usado para discriminar, ameaçar, provocar ou denegrir usuários e nem para envolvimento em práticas de publicidade predatórias. O segundo é que os públicos personalizados devem estar em conformidade com os termos aplicáveis de criação de público.

Sobre o posicionamento, o Facebook destaca três pontos importantes. São eles:

  1. Relevância: todas as partes do anúncio devem ser relevantes e adequadas tanto para o que está sendo anunciado quanto para o público que o verá.

  2. Precisão: os anúncios devem representar de forma precisa o que está sendo anunciado.

  3. Páginas de destino relacionadas: o que está sendo oferecido no anúncio deve ser o mesmo oferecido no site de destino. O site de destino também não pode conter links para produtos ou serviços proibidos.

Os anúncios de cadastro não podem solicitar determinadas informações sem autorização prévia por escrito do Facebook. Entre essas informações, estão inclusos: número de conta, histórico criminal, informações de saúde, filiação política, raça ou etnia, religião e outros.

O Facebook também delimita quais as restrições referentes a coleta e uso de dados em quatro tópicos que incluem, mas não se limitam a: não transferência de dados para outra base de anúncio e proibição do uso dos dados para criar, editar, influenciar ou aumentar perfis de usuários.

Para anúncios que apresentam marcas do Facebook ou Instagram é necessário consultar a central de recursos de marca do Facebook e do Instagram. Mesmo assim, também são estabelecido quatro pontos: apoio da marca, uso da marca em anúncios, direitos autorais e marca registrada e capturas de tela da interface do usuário.

Se você ainda tiver alguma dúvida, pode dar uma olhada nos demais artigos da nossa base de conhecimento e, caso ela persista, fique à vontade para entrar em contato com nosso suporte por aqui.

Se este artigo foi útil para você, dê um like aqui e deixe seu comentário. Fazendo isso,  você nos ajuda a produzir conteúdo e soluções que fazem a diferença. Nos vemos em uma próxima oportunidade 🚀😁
Respondeu à sua pergunta?